Vista Siriema 6

Caros confrades,

No próximo dia 31 de julho vamos degustar a cachaça Seriema, produzida no município de Luziânia.

Um grupo de confrades da CCB esteve nas instalações do Alambique, no dia 12 de julho, para a degustação prévia.

O proprietário é o Sr. Massimo Jorio, advogado residente em Brasília.

A cana é produzida sem defensivos químicos. A adubação é orgânica e o controle de pragas é biológico.

A fermentação é feita a partir de leveduras selvagens, disponíveis no solo da região.

A cachaça Seriema é fabricada em alambiques especiais, com caldeiras de cobre ligadas por uma peça de cerâmica ao condensador, totalmente feito de vidro.

Os vapores só entram em contato com cerâmica e vidro. Essa técnica, que foi desenvolvida pelo próprio alambique, evita a contaminação do produto pelo cobre.

O destilado que é produzido no início da destilação é descartado. Só é aproveitada a cachaça produzida depois que a graduação alcoólica atinge 50 por cento. O processo é interrompido quando a graduação baixa para 40 por cento. Esse critério garante o descarte da cabeça e da cauda, garantindo um produto final com baixíssimos níveis de contaminantes.

A cachaça que será degustada provém de um lote fabricado em novembro de 2014, não envelhecido, mas descansado em dornas de carvalho por seis meses.

Uma inovação do Alambique Seriema é a técnica de descanso em potes de barro por quarenta e oito horas, antes do envasamento.

O resultado é uma cachaça de excelente qualidade.